Arquivo da tag: mãe

Maizena para combater as brotoejas

Image

Ontem visitando uma amiga que ganhou bebe surgiu a famosa duvida sobre usar ou não a Maizena para combater as brotoejas. Segundo os mais “antigos” colocar a boa e velha Maizena na água do banho do bebê ou diretamente sobre a pele pode ajudar a resolver o problema. Outro dia a minha faxineira disse que os médicos do posto de saúde indicam a Maizena para substituir o talco que muitas vezes não é acessível para muitas pessoas e também no caso de crianças alérgicas a perfumes e produtos mais concentrados.  Eu sempre recorro a Maizena no verão e realmente ajuda muito! Segundo a minha mãe, se fizer uma pastinha de água e Maizena em um potinho e misturar à água do banho o resultado é ainda melhor. Ontem a Valentina tirou um soneca no carro e mesmo com o a Ac ligado percebi que o pescoço ficou um pouco irritado então recorri a Maizena. Já dei a dica no blog que o talco ajuda a tirar toda a areia da praia que fica grudada no corpinho dos pequenos, mas a Maizena é muito mais barata e você pode deixar um potinho na bolsa da praia ‪#‎ficaadica‬

Image

Para mais informações:

http://drauziovarella.com.br/crianca-2/brotoeja-miliaria/

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação & Saúde, Produtos para os pequenos

Real Life

Hello Girls!! Primeiro que dizer que estava com muita, mas muita saudade de passar por aqui e compartilhar as minhas experiências com vocês. Não tenho desculpas, mas tá faltando um pouquinho de organização pessoal para poder dar conta do recado. Nos últimos meses tenho me dedicado para a abertura de uma loja online e preciso deixar tudo prontinho até fevereiro. Somando  a correria do fim de ano ficou tenso o negócio por aqui.

O trabalho não rende muito né? Só tenho a parte da tarde para me dedicar sem interrupções e quando vejo já tenho que ir correndo buscar a pequena na escola. Bem, são escolhas da vida  e estou feliz com a minha :) Por enquanto decidi que não quero colocar a V. período integral, mas vamos ver como as coisas vão se encaminhar no próximo ano.

Ok, vamos lá! Hoje publiquei uma foto do @giseleofficial (que a Vogue Paris publicou tbm) na Fanpage do Mais que Mães. Na foto temos uma mãe amamentando seu baby e ao mesmo tempo sendo produzida por uma equipe de beauty. Mas como era a pobre da Gisele Bündchen o povo cai matando em cima com comentários do tipo “vida fácil”. Gente, qual é o problema das pessoas em crucificar a criatura? Confere a foto:

ImagemEu mesma já postei foto no nosso Instagram @maisquemaes fazendo escova com a Valentina no colo. Olha a prova:

ImagemAs pessoas julgam um fato isolado, trasnformam em noticia para dar ibope e comentam que a vida real não é assim, mas esquecem que cada um tem a sua vida, suas escolhas, oportunidades, falta de oportunidades, pobreza e riqueza. Nós sabemos que essa realidade é “possível” para uma minoria, mas aí crucificar a foto é demais!

Eu particularmente, não acho glamour ir para o salão  (que deveria ser um tempinho só meu), com a Valentina, mas as vezes tenho que fazer isso porque simplesmente não tenho opção, não tenho com quem deixar e aí me resta levar um mini ser que pode ficar bem quietinho ou simplesmente surtar por algum motivo.

A Gisele Bündchen ainda se deu o trabalho de escrever na legenda “O que seria de mim sem esse esquadrão da beleza depois de voar 15 horas e só dormir 3 horas. #mutlitarefas #mepreparando”.

Outro “acontecimento virtual” que despertou minha atenção e indignação foi um texto que li em um Blog por aí. O sujeito cria um post para contestar a atitude de uma mãe em um café. Resumindo, a mãe senta com a criança para tomar um café e a criança que teria, de acordo com o relato, por volta de 02 anos simplesmente não queria ficar sentada. A criança tem dois anos!! Vocês acham que uma criança com essa idade prefere sentar e ficar mega comportada ou desbravar o ambiente? Bem, o sujeito julga a atitude da mãe que deve ter tentado conversar com a criança, mas como não surtiu o resultado desejado ofereceu um celular “em troca”.

Ai, ai… o que é que tem de errado em fazer isso? Chantagem,  esse seria o nome correto? Alguém pode me dizer o que estava acontecendo com aquela mãe no momento, no dia, na semana? Se tem uma coisa que aprendi depois de ser mãe é não julgar outras mães, é tipo um mandamento sagrado para mim (salve situações absurdas ou maus tratos).

Será que a mãe tinha dormido de noite, tinha almoçado, será que a criança vai para escola ou a mãe da conta do recado o dia inteiro, será que a criança é ligada na tomada, será que ela tem marido ou alguém para ajudar, será que ela queria ter um tempinho só para ela se distrair, arejar a cabeça, será que ela tem uma mãe com câncer, um parente no hospital, será que ela estava de tpm?

São muitas as possibilidades não é mesmo? Eu tenho uma filha de dois anos e posso afirmar que não é fácil conversar e fazer com que ela entenda o que é certo e errado, eu sempre tento conversar muito com a V., explicar, responder as perguntas dela, dar exemplo para as situações, sempre levo opções de brinquedos, giz de cera, mas as vezes ela simplesmente não obedece e acontece de emprestar o celular, o sachê de açúcar/ sal, menu, chave do carro, ou qualquer outra alternativa para conseguir fazer o que deve ser feito.  Quando li o post eu pensei, não é possível que alguém escreveu isso e ainda deu embasamento teórico para tentar provar a teoria mirabolante descrita ali.

Sinceramente, se fosse meu marido eu não deixava entrar mais em casa! O pior é que não tive coragem de deixar um comentário no blog quando li o post.

Está faltando noticia por aí, acho que se as pessoas focassem mais em suas vidas  (coisa que eu não estou fazendo nesse momento), seria muito, mas muito produtivo.

Mil desculpas por essa volta “tenebrosa” (rssss), bjs!!

Deixe um comentário

Arquivado em Vida de mãe

Day off do baby

Hello,

Gente hoje expulsei o marido e a pequena de casa para colocar a vida em dia…rssss. Olha a correria dos últimos dias foi grande, mas vou confessar que estou adorando! Hoje não fiz almoço, mas lavei a louça que sobrou da jantinha de ontem, trabalhei, dei uma geral nos armários da casa, gavetas, joguei uma porção de remédios fora da validade e essa lista não tem fim. Quando você mora em um ap de 2 quartos com um baby a lei da sobrevivência é: entra uma coisa nova e sai uma coisa velha. Meu sonho é ter espaço (ok, tenho sonhos muito mais divertidos).

Olha, o tempo rende quando fico longe da V. e principalmente quando não preciso cozinhar, limpar, trocar roupa, fralda ou simplesmente ser interrompida. Já estou morrendo de saudades e contando os minutos para ela voltar (l-o-u-c-a), mas é verdade. Estamos muito juntinhas nos últimos dias porque a Dinda que é minha provedora de momentos off da V. está viajando e só volta 16 de dezembro. Que medo, será que vou sobreviver?

A V. está em uma fase ótima, super carinhosa, conversadeira e comilona :) Essa semana a professora me falou que eu  deveria inscrever ela no The Voice Brasil. O que mais uma mãe pode desejar?  A resposta é: folga.

Na semana passada surgiu a possibilidade de viajar uns 5 dias à trabalho e eu fiquei maluca em ficar todo esse tempo longe dela. Sei que tem muitas mães que já fizeram isso, mas senti que não estou preparada. Já  fiquei 3 quando fui para Buenos Aires comemorar meu aniver, mas cinco :(((

Acho super importante ter um ponto de apoio para a criança e para a família. Quando digo “ponto de apoio” estou me referindo a uma pessoa que a criança se identifique, que tenha disponibilidade e que os pais se sintam tranquilos. No meu caso tenho a Dinda e  Sogra, mas como a Dinda já está aposentada e mora mais perto foi eleita a babá oficial da V. e ela adora e fica  super tranquila na casa dos Dindos. Desde pequena acostumamos ela a dormir fora, passar o dia com eles ou fazer um passeio e foi ótimo porque a V. se adaptou bem. Assim, conseguimos ter nossos momentos de folga.

Bem, se você é mãe com certeza o que estou falando não é novidade, ou sim né? Sei de muitas mães que nunca dormiram longe dos pequenos. Algumas porque não tem opção e outras porque não conseguem. Se você está gravida comece a pensar nisso! É bom delegar tarefas, pedir ajuda para tomar um banho demorado, tirar um soneca, sair para almoçar, viajar e por aí vai. Essa semana a V. foi novamente para o salão comigo porque eu precisava fazer uma escova e dar uma geral. Posso dizer que foi divertido, mas não relaxante, você fica ali na expectativa da criança  surtar. O fato é que dar umas escapadas quando se tem um baby é como recarregar as baterias e você volta para casa cheia de amor e saudade.

E o mais engraçado é que meu marido enviou uma foto da V. e eu tive um ataque…rsss, mas olha o que ele aprontou, achei muito alto o lugar escolhido para ela sentar :((

Imagem

Afff, coisas de pai! Beijos!!

Deixe um comentário

Arquivado em Vida de mãe

Casos de catapora aumentam na primavera saiba como prevenir

Olá Mamães,

Resolvi publicar esse texto que li outro dia porque comecei a escutar na “rádio corredor” da escolinha da V.  algumas mães & pais conversando sobre o Catapora, vale a pena ficar informada.

cata1

Confere as dicas da Revista Crescer

Casos de catapora aumentam na primavera: É importante ficar de olho nos sintomas da doença, que incluem febre e mal estar. A principal prevenção é a vacina tetra viral.

Instituto de Infectologia Emílio Ribas, da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, emitiu um alerta para a população sobre o aumento dos casos de catapora na primavera. Até julho foram registrados 2.168 casos entre crianças de até 9 anos, segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado (CVE).

A catapora é uma doença altamente contagiosa, por isso, é recomendado afastar as crianças de escolas e creches ao confirmarem a doença. Os sintomas são parecidos as de um resfriado: febre alta e mal estar, e não há nenhum medicamento capaz de controlar a doença. “O ideal é lavar as lesões com sabão normal durante o banho, secar, não fazer uso de nenhum tipo de pomada nem curativo”, explicou, em nota, a infectologista do Emílio Ribas, Yu Ching Lian.

Por isso, a maneira mais segura de prevenir é por meio da vacinação. A tetra viral, oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde setembro deste ano, protege a criança da catapora, sarampo, caxumba e rubéola. Crianças de 15 meses, que já tenham tomado a primeira dose da tríplice viral (sarampo, caxumba, rubéola), podem receber a tetra valente. Caso a tríplice não tenha sido tomada, basta procurar o posto de saúde mais próximo. Neste caso, a tetra viral é aplicada após 30 dias.Vale lembrar que a vacina é oferecida em qualquer época do ano. Nas clínicas particulares, o esquema é diferente e você deve seguir as orientações do pediatra do seu filho.

Entenda a catapora

A catapora (ou varicela) atinge principalmente crianças de 1 a 6 anos. A transmissão acontece por contato e por via respiratória. Ambientes pouco ventilados, creches e escolas são propícios para a disseminação do vírus. Por conta disso, a melhor forma de prevenir o seu filho é por meio da vacinação.

Febre alta (acima de 38°C) e manchas avermelhadas pelo corpo são os primeiros sinais. Logo, formam-se pequenas bolhas que se rompem e viram feridas. Durante cerca de três dias, as bolhas surgem por levas: enquanto umas secam outras nascem no corpo da criança. As bolhas podem aparecer também nas mucosas: na boca, na conjuntiva, na área genital.

Durante essa fase, há risco de transmissão. Por isso, se você tem mais de uma criança em casa e um de seus filhos pegou a doença, leve-os ao pediatra e evite que durmam no mesmo quarto. Objetos pessoais devem ficar separados para evitar o contágio. Somente após 5 a 7 dias, as últimas bolhas secam, formando crostas.

A catapora não oferece grandes riscos, mas como as bolhas coçam, é preciso evitar que a criança crie um machucado em cima delas para não haver inflamação local e cicatriz. Não há medicamento específico, a não ser aqueles para combater os sintomas, como a febre e a coceira.

Abaixo, dicas fundamentais para evitar complicações:

– Corte sempre as unhas do seu filho e deixe-as limpas;
– Evite que ele tenha contato com pessoas com baixa capacidade de defesa;
– Coloque roupas leves, para evitar calor e aliviar as coceiras;
– Tente fazer com que seu filho repouse, principalmente enquanto tiver febre;
– Ofereça alimentos leves e muito líquido.

Fonte: Revista Crescer

cata3cata2

Bjs x Boa Semana!

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação & Saúde, Desenvolvimento Infantil

Mala da Maternidade – Bebê & Mamãe

mala maternidadeHello Casal Grávido!!

Esse post é para os papais, irmãs, mães e qualquer pessoa que em um momento de apuro coloque a mão na massa, ou melhor, na mala (momento de emoção quando achei a minha lista da mala da maternidade limpando a caixa de emails). Bem, dizem que se conselho fosse bom poderia ser vendido né? Massss, acho que algumas dicas de quem já passou (com muita frescura), por essa situação pode ajudar.

Digo muito frescura porque sou da turma do fru fru sabe? Vou explicar, quando fiquei grávida já sonhava com quartos mimosos, lembrancinhas da maternidade de revista, malinha e bolsa rosa bebê, lacinhos e mais lacinhos e muitos sapatinhos. Muitos mesmo, nossa tenho até vergonha, olha só:

DSC03618Eu ficava de olho em todas as novidades (até hj sou assim), e mesmo tendo consciência de que minhas escolhas poderiam não ser praticas eu assumia o risco.  Mas se eu estivesse grávida hoje tenho 100% de certeza de que seria muito mais relax e abandonaria muitos “protocolos” e “modinhas” que foram criadas com a chegada do Baby (#prontofalei). Ok, vamos as dicas úteis e praticas, segue a minha lista e algumas observações:

Malinha do Bebê

– 4 macacões com abotoamento frontal (Hum,, tem muitos bodies de botão fofos, mas aqueles com zíper são muito práticos sabia? principalmente quando o baby acabou de nascer e você deverá trocar uma media de 8 fraldas por dia, não esqueça de fazer as contas da data provável do parto para adequar o enxoval a estação do ano);

Esses da Carter’s são ótimos, com estampas divertidas e práticos!

-04 conjuntos de pagões ou body (para colocar em baixo dos bodies, opte por tecido de algodão porque nesse período a pele do baby é muito sensível);

Oh, que saudade! Tudo muito organizado.. rssss (hj em dia é uma bagunça porque a mocinha de 85cm adora abrir e revirar as gavetas :)

Oh, que saudade! Tudo muito organizado.. rssss (hj em dia é uma bagunça porque a mocinha de 85cm adora abrir e revirar as gavetas :)

-04 calças com pezinho (mijão / culote) (ótimo porque meia e sapatinhos não param no pezinho dos babies);

-04 pares de meia (não acho muito necesário se vc comprar as calças com pezinho);

-01 manta leve / 1 manta quente / 2 cueiros (Sim, você vai precisar muito dessas mantinhas para forrar o bercinho da maternidade e enrolar o bebe como um charutinho, Ah! Já ensinamos isso aqui);

-01 cobertor de algodão (no inverno, minha filha nasceu em outubro e eu usei! Olha que fofura no berço da maternidade:

Oh!

Oh!

-02 casaquinhos / 2 sapatinhos (talvez para sair da maternidade);

-01 pacote de fralda (Usei RN, minha filha nasceu com 3.150kg e 47cm);

-kit banho a critério (eles normalmente fornecem na maternidade, mas eu levei umas miniaturas da J&J que  até hj ficam na bolsa da escolinha);

-04 fraldas de boca (são super úteis para proteger o body e pescoço do baby no momento da amamentação, aff.. acabei de lembrar do cheiro do leite materno que fica impregnado na sua vida durante meses);

-Essa dica pode não ser muito aceita, mas da próxima vez vou levar bico ( meu marido saiu na madruga para comprar no 2 dia, a Valentina chorava de fome provavelmente e nada do leitinho descer);

-Outra dica que pode causar “pavor”, mas para o próximo baby vou levar uma mamadeira e leite especial para possíveis emergências;

-enfeite da maternidade (eu levei um quadrinho que mandei fazer para o quarto da V. e aproveitei para pendurar na porta) Olha que fofo:

By Rita Lemos - Fpolis/SC

By Rita Lemos – Fpolis/SC

-lembrancinhas (a tia do meu marido faz coisas lindas e me deu de presente as lembrancinhas, eu a-d-o-r-e-i! )

Tinha cheirinho de perfume de bebê

Tinha cheirinho de perfume de bebê

-brinco (não levei e decidi furar só depois de 1mês para evitar possíveis infecções, pode parecer exagero, mas com um micro baby todo cuidado é pouco);

-lacinhos para cabelo….Ehhh, levei e a V. nasceu mega cabeluda, olha a prova:

Momento "para todas as outras coisas existe Mastercard"

Momento “para todas as outras coisas existe Mastercard”

-almofada amamentação (não levei, mas pode ser que ajude).

Malinha da Mamãe

-04 camisolas/ pijamas, com abertura frontal para facilitar a mamada. (Sim, levei e na maior parte do tempo usei um roupão);

-01Roupão (muito prático e útil);

-03 Sutiãs de amamentação de algodão (evite rendas e costuras internas, levei somente 2)

-06 calcinhas (nem lembro quantas eu levei, mas como rola um sangramento básico vale a pena levar umas extras sim e não esqueça que mesmo após o parto você terá aquela barriga básica de 6 meses, assim eu recomendo modelos confortáveis que sustentem a barriga e caso vc faça cesárea evite calcinhas apertadas que façam atrito na cicatriz);

-protetor de seio (levei, mas como o leite demorou para descer não usei muito);

-chinelos (sim!!)

-uma roupa solta e confortável para retornar para casa (principalmente confortável e que comporte a barriga pós parto);

-artigos para higiene pessoal (absorvente, Creme dental, shampoo, sabonete, etc)

-Levei um arco bonitinho para usar, corretivo para as olheiras e blush (super recomendo!);

-Maquina Fotográfica (simmmm!)

-Celular/ pc/ carregadores

-Documentos solicitados na maternidade/ carteira do convenio

Recomendo deixar a mala pronta com 32 semanas, a minha ficou em cima da cômoda no quartinho da V. e eu ficava rodeando e mudando algumas escolhas de roupinhas. Ah, deixei as roupas separadas em saquinhos para facilitar a vida das enfermeiras e do marido.

Fotinho do google porque na época não fotografei :(

Fotinho do google porque na época não fotografei :(

Hum… se fosse hoje eu não ficaria me preocupando em comprar uma malinha especial e muito menos rosa bebê, usaria uma mala de mão ou uma bolsa mesmo. Normalmente as malinhas de maternidade não tem rodinha e aí você acaba não aproveitando nas viagens, além disso as cores claras sujam muito!

Olha a minha escolha da Masterbag:

DSC03633

Hoje ( se eu tivesse que comprar) optaria por algo assim :

mala-maternidade-mae

uma vez fru fru x sempre fru fru

Se você acha que faltou algo nessa lista deixe um comentário, assim ajudamos nossas leitoras ok? Bjs!!

2 Comentários

Arquivado em Gravidez

Algumas Coisas

Fazendo o Gênero #10

Fazenddoogenero

Está rolando na UFSC o congresso Fazendo o Gênero 10, Desafios Atuais dos Feminismos. Começou ontem e vai até o dia 20 de setembro, sexta-feira. Fico com o maior orgulho da minha orientadora, que está na organização. Hoje assisti a um simpósio chamado “Configurações Literárias do Feminismo”. Estava bem interessante, mas tive que sair cedo para estudar (tenho uma apresentação para fazer para uma matéria na semana que vem). Amanhã vou ver duas mesas redondas, a que vai acontecer às 9h, Mídias, Discurso e Gênero; e a que vai acontecer às 19:30, Feminismos Latino-Americanos e os Debates Descoloniais: Possibilidades e Desafios (esta é com a minha orientadora).

Livros que li e estou lendo: e todos tratam de maternidade

Colagem livros

Estou fazendo uma matéria sobre as escritas de minorias e desde que a matéria começou já li 4 livros, são eles Incidentes da Vida de Uma Escrava, da Harriet Jacobs; In Search of Our Mothers’ Gardens, da Alice Walker; Amor (Beloved), da Toni Morrison, e agora estou lendo o At the Full and Change of the Moon, da Dionne Brand. Olha, vou te contar, QUE LIVROS!!! Todos eles tratam de escravidão e sobre a relação das mães com seus filhos (o da Alice Walker faz isso de forma diferente porque é um livro de ensaios). Que soco no estômago que é perceber como somos sortudas por podermos criar nosso filhos com toda essa dedicação que é possível hoje. Quando você lê um livro sobre uma escrava que sacrificou grande parte de quem ela é para ver os filhos crescerem fora da escravidão, percebe como a nossa memória é curta, como o mundo pode ser cruel com as pessoas, como a escravidão foi possivelmente a coisa mais horrorosa que a humanidade já inventou (a hierarquização das pessoas com base na cor da pele, tem coisa mais horrorosa?), você percebe o seu privilégio dentro da História, aquela com h maiúsculo mesmo. Todos os dias, depois de ler páginas desses livros, abracei a minha filha com todo o amor que pude juntar e agradeci por poder maternar assim, juntinha dela. Enquanto abraçava, pensava nessas mulheres que não puderam fazer isso e desejava por um passado diferente, coisa que foge do meu controle. Meu trabalho de final de semestre será sobre essa relação das mães com os filhos dentro da escravidão, depois comento mais sobre o assunto.

Duas leituras: Vogue de setembro ( #septemberissue ) e Elle de agosto

Vogueelle

Eu amo a Vogue, mas andava meio lenta pra comprar a revista porque olha… falta tempo mesmo, mas gostei do que vi e li. Eu comprei a Elle de agosto por causa da frase “o novo feminismo”. Eu basicamente queria ver qual era a da revista com essa frase estampada na capa. Pois bem, vou dizer que ainda não li e não sei do que se trata, só sei que gostei da carta da editora. Até o final da semana devo conseguir encontrar a matéria que fala sobre o tal novo feminismo, mas digo que fico levemente desconfortável com a ideia de feminismo em uma revista que fala sobre moda e prega um padrão de beleza inatingível (aliás, prioriza a beleza). Mas enfim, não cabe aqui julgar, eu mesma já fui editora de revista e sei que não é fácil casar assuntos mais complexos em publicações comerciais. Tá, mas mais um detalhe: a Vogue veio com a Vogue Kids, que está MUITO boa, gostosa de ler e folhear.

Pra fechar

photo

Uma foto minha com a FOFA da Alis, que já falava bastante, mas que agora forma frases, diz obrigada pra tudo (seguido de “de nada”), “piqueixo” pra pedir pão de queijo, “nananinanão” quando começo a cantar uma música e ela quer outra. Ela também ama usar saia, corre para se olhar no espelho quando faço a chuca no cabelo e  me acorda com abraços e beijos. Eu tô tão apaixonada por essa criaturinha que posso explodir a qualquer momentooo!

Beijo,

Mel

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Pesquisa revela que, no Brasil, mulheres fazem mais trabalhos domésticos que os homens

Acabei de ler uma notícia interessante que um conhecido postou no Facebook, é sobre o uso do tempo. A notícia começa falando que o brasileiro, em média, gasta 6 minutos por dia lendo. É pouco, muito pouco, mas o que me chamou atenção foram os dados sobre desigualdade de gênero nas tarefas da casa.

Image

Desigualdade de gênero é menor nos EUA

Na questão de gênero, a desigualdade é atestada no relógio nos afazeres domésticos e cuidado com filhos e idosos. Enquanto o homem ocupa 1h14m do seu tempo em afazeres domésticos, a mulher gasta 3h35m. No cuidado com a família, a relação é de 39 minutos para mulher, contra 12 minutos para o homem. E a pesquisa mostra a divisão desse trabalho, como cozinhar, arrumar a casa, fazer compras. Nos Estados Unidos, essa desigualdade entre homem e mulher também aparece, mas num patamar inferior. Lá, as mulheres reservam para casa 2h28m, enquanto os homens levam metade desse tempo (1h11m) no mesmo serviço.

— A única função que tem quase o mesmo tempo gasto por homens e mulheres em casa é o de compras. O homem gasta 11 minutos e a mulher, 14 minutos — afirma Cíntia.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/brasileiro-passa-muito-tempo-longe-dos-livros-9437982#ixzz2cKyXRyU5 © 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Outros dados serão apresentados no Congresso Internacional do Uso do Tempo. Dá uma lida na notícia para saber mais, o link está aqui.

1 comentário

Arquivado em Vida de mãe