Arquivo da tag: família

Day off do baby

Hello,

Gente hoje expulsei o marido e a pequena de casa para colocar a vida em dia…rssss. Olha a correria dos últimos dias foi grande, mas vou confessar que estou adorando! Hoje não fiz almoço, mas lavei a louça que sobrou da jantinha de ontem, trabalhei, dei uma geral nos armários da casa, gavetas, joguei uma porção de remédios fora da validade e essa lista não tem fim. Quando você mora em um ap de 2 quartos com um baby a lei da sobrevivência é: entra uma coisa nova e sai uma coisa velha. Meu sonho é ter espaço (ok, tenho sonhos muito mais divertidos).

Olha, o tempo rende quando fico longe da V. e principalmente quando não preciso cozinhar, limpar, trocar roupa, fralda ou simplesmente ser interrompida. Já estou morrendo de saudades e contando os minutos para ela voltar (l-o-u-c-a), mas é verdade. Estamos muito juntinhas nos últimos dias porque a Dinda que é minha provedora de momentos off da V. está viajando e só volta 16 de dezembro. Que medo, será que vou sobreviver?

A V. está em uma fase ótima, super carinhosa, conversadeira e comilona :) Essa semana a professora me falou que eu  deveria inscrever ela no The Voice Brasil. O que mais uma mãe pode desejar?  A resposta é: folga.

Na semana passada surgiu a possibilidade de viajar uns 5 dias à trabalho e eu fiquei maluca em ficar todo esse tempo longe dela. Sei que tem muitas mães que já fizeram isso, mas senti que não estou preparada. Já  fiquei 3 quando fui para Buenos Aires comemorar meu aniver, mas cinco :(((

Acho super importante ter um ponto de apoio para a criança e para a família. Quando digo “ponto de apoio” estou me referindo a uma pessoa que a criança se identifique, que tenha disponibilidade e que os pais se sintam tranquilos. No meu caso tenho a Dinda e  Sogra, mas como a Dinda já está aposentada e mora mais perto foi eleita a babá oficial da V. e ela adora e fica  super tranquila na casa dos Dindos. Desde pequena acostumamos ela a dormir fora, passar o dia com eles ou fazer um passeio e foi ótimo porque a V. se adaptou bem. Assim, conseguimos ter nossos momentos de folga.

Bem, se você é mãe com certeza o que estou falando não é novidade, ou sim né? Sei de muitas mães que nunca dormiram longe dos pequenos. Algumas porque não tem opção e outras porque não conseguem. Se você está gravida comece a pensar nisso! É bom delegar tarefas, pedir ajuda para tomar um banho demorado, tirar um soneca, sair para almoçar, viajar e por aí vai. Essa semana a V. foi novamente para o salão comigo porque eu precisava fazer uma escova e dar uma geral. Posso dizer que foi divertido, mas não relaxante, você fica ali na expectativa da criança  surtar. O fato é que dar umas escapadas quando se tem um baby é como recarregar as baterias e você volta para casa cheia de amor e saudade.

E o mais engraçado é que meu marido enviou uma foto da V. e eu tive um ataque…rsss, mas olha o que ele aprontou, achei muito alto o lugar escolhido para ela sentar :((

Imagem

Afff, coisas de pai! Beijos!!

Deixe um comentário

Arquivado em Vida de mãe

Só pra constar…

Natal foi DE-LI-CI-O-SO! Foi uma festa super harmônica, ninguém fez cara feia e a tia bêbada foi… adivinha quem? Euzinha. Sobrinha de 14 e prima de 15 anos me chamam de tia (uma porque realmente é minha sobrinha e a outra porque, pra ela, sou velha), então eu fui a tia bêbada do natal, falando besteira pelos cotovelos, perdendo a conta de quantas cervejas já tinha tomado e tals. Hoje a sobrinha veio aqui em casa e falou: “Tia Mel, você estava muito engraçada no natal”, o que prova a minha teoria de que eu fui a tia bêbada. Mas foi incrível: primeira vez bêbada em 19 meses. E só pra constar, eu não estava bêbada, estava alegre. E só pra constar [2], parei de amamentar dois dias antes do natal. Meu leitchênho já não satisfazia mais, então estávamos no processo de amamentação só pra não interromper bruscamente. Curti muito amamentar, estou com uma dorzinha no coração por ter parado, mas muito feliz por termos atingido a marca dos 10 meses. Mas voltando ao assunto importante: a minha bebedeira, que não foi bem bebedeira, mas mini-pileque, foi MUITO divertida. Agora entendo as tias que ficavam/ficam bêbadas no natal. É quase que uma obrigação na tradição natalina, um trabalho sujo que alguém TEM que fazer. E olha, dona tradição, foi uma honra. Quem lê acha que eu nunca bebi no natal, mas sim, eu já bebi, só que eu era sobrinha, neta, filha, nora, mas agora sou mãe. Tem todo um peso diferente. As pessoas olhavam pra mim com um mix de humor e medo que eu não fosse dar conta de ser mãe caso o “serviço chamasse”, ou seja, tinha o fator surpresa, tempero de novelinha mexicana. Eu brinco, nem foi isso tudo. Eu dei conta de me manter no salto, que na verdade era uma sandália sem salto, até as duas e meia da madruga, tomar banho, dormir às três e acordar às cinco para dar mamadeira para a Alis e trocar a fralda também. Conclusão: eu não estava bêbada, estava apenas feliz, feliz, feliz por ser mãe (<3), por ter um marido e uma família incrível, por poder beber sem contar os %s de álcool, por ter uma avó linda e maravilhosa de 89 anos que ficou até o final da festa e riu de todas as minhas piadinhas de tia bêbada.

2012, apesar da perda que sofremos na família, foi um ano muito mega hiper legal. Aprendi muito, muito, muito e sinto muita gratidão por ser rodeada de pessoas bacanas. Os problemas existiram e continuarão existindo sempre, mas o tempo passa e vamos ficando mais espertos sobre como lidar com eles. Vemnimim, 2013!!!

Beijo gigas pra todo mundo que acompanha o blog, mesmo que em silêncio (comentem, gentch), porque as estatísticas mostram que os acessos existem… beijo, fantasminhas queridas(os)!!!

BIG PS: Saí com os olhos fechados e/ou fazendo careta em toooodas as fotos, então não vai rolar de publicar nenhuma não…rsrsrs!

Pra não fazer desfeita, segue uma colagem de fotos tiradas no dia 23, com a Alis de tubarão rosa depois de tomar banho de piscina (:

UM VERÃO 2012

 

8 Comentários

Arquivado em Vida de mãe